Morre menino que comeu bombom envenenado em Sergipe

Crime teria sido motivado por ciúme que professora sentia da tia da vítima

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

30 de abril de 2010 | 09h44

Morreu nesta quinta-feira, 29, um menino de 6 anos, após ficar internado por 19 dias por comer um bombom envenenado, enviado para a tia dele, de 17 anos, em Itabaiana, Sergipe. A acusada de enviar os bombons já foi presa.

 

Segundo a Polícia Civil, a professora Genailde Cardoso Santos de Oliveira, de 33 anos, e o marido dela Adilson da Cunha Lima, de 32 anos, foram detidos, acusados de enviar chocolates envenenados para a casa de Jéssica de Lima, no último dia 10. Genailde, segundo a polícia, queria se vingar de Jéssica por acreditar que a vítima tinha um relacionamento amoroso com seu marido.

 

Para o delegado Paulo Cristiano Ricarte, a professora é a única responsável por enviar os chocolates para a residência de Jéssica. O delegado explica que quando fez o pedido de prisão, a Justiça também suspeitava da participação de Adilson no crime. "Hoje, comprovamos que a única responsável por envenenar e enviar os chocolates foi a professora Genailde", assegurou o delegado.

 

A professora entregou os bombons a uma ex-aluna, de 10 anos, e esta por sua vez passou a um moto-taxista da cidade que se encarregou de deixar o "presente" na casa da vítima. Jéssica estranhou o gosto do chocolate e não ingeriu todo o doce, porém um sobrinho de apenas seis anos comeu um bombom inteiro e passou mal sendo transferido logo em seguida para o Hospital de Urgência de Sergipe João Alves Filho (Huse), onde faleceu.

 

Em depoimento, logo após o crime, Jéssica afirmou que desconfiava da autoria do crime, já que Genailde tinha feito ameaças anteriores. "O motivo de tanta raiva seria o ciúme descontrolado pelo marido", resumiu a vítima.

Mais conteúdo sobre:
Sergipeenvenenamentobombom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.