Morre Miro, bicheiro e patrono do Salgueiro

O bicheiro Waldomiro Paes Garcia, o Miro, morreu na tarde deste domingo aos 77 anos na clínica Rio Mar, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Ele estava internado desde a última quinta-feira e faleceu vítima de complicações resultantes de enfisema pulmonar. Ele era presidente de honra do Salgueiro, tradicional escola de samba da Tijuca, na zona norte do Rio.No final de setembro, seu filho, o também bicheiro Waldemir Paes Garcia, o Maninho, foi assassinado quando saía de uma academia em Jacarepaguá, também na zona oeste. Ele estava em uma motocicleta, quando homens que ocupavam um automóvel dispararam seis tiros de fuzil, atingindo o tórax e o braço do bicheiro.Segundo informações divulgadas na época do assassinato pela polícia do Rio, Maninho comandava 1.400 bancas de jogo de bicho e 7 mil máquinas de caça-níqueis espalhadas pela cidade.Miro teria decidido montar uma investigação paralela da morte do filho com o objetivo, ainda de acordo com informações da polícia na época do crime, de dar proteção aos netos e continuidade aos negócios. Ele teria trazido um outro filho, conhecido como Bid, de Goiás para reestruturar os negócios da família.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.