Morre mulher mantida em cárcere privado pelo ex-marido no RS

Rosemeri Anori, de 51 anos, sofreu nova parada cardíaca; homem se matou, segundo a polícia

Elder Ogliari, O Estado de S. Paulo

06 de junho de 2013 | 12h08

PORTO ALEGRE - A dona de casa Rosemeri da Silva Anori, de 51anos, que foi mantida em cárcere privado pelo ex-marido durante quase 20 horas, morreu às 9h18min desta quinta-feira em Sapucaia do Sul, na região metropolitana de Porto Alegre. Quando o sequestro terminou, às 7 horas de quarta-feira, 5, ela foi encontrada inconsciente pela equipe de resgate, que conseguiu reanimá-la de uma parada cardíaca. Internada na UTI do Hospital Getúlio Vargas em estado considerado "gravíssimo", passou a respirar com auxílio de aparelhos, mas sofreu outra parada cardíaca e não resistiu.

O sequestro começou por volta das 10h30min de terça-feira, 4. Armado com uma faca de cozinha e inconformado com a recente separação, Jerry Éder de Aguiar, de 41 anos, fez da ex-mulher e de um neto de 28 dias reféns para exigir uma reconciliação. Às 16 horas daquele dia libertou o bebê, deixando-o na varanda para ser recolhido pela Brigada Militar, que mantinha a casa sob cerco, para ser entregue à mãe. Mas manteve Rosemeri sob ameaças. Ao amanhecer de quarta-feira, depois de perceber que ele não respondia mais aos telefonemas dos negociadores, a Brigada Militar invadiu a casa. Encontrou a mulher inconsciente, com marcas no pescoço, indicando que teria sofrido tentativa de asfixia, e o homem morto por enforcamento, concluindo que ele se suicidou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.