Morre o jornalista Antonio Arrais de Oliveira

Memória

, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

ANTONIO ARRAIS DE OLIVEIRA 1947 - 2010

Repórter do "Estado" entre 1987 e 1990, ele cobriu a primeira eleição direta para a Presidência pós-ditadura

Morreu ontem em Brasília, aos 63 anos, o jornalista Antonio Arrais de Oliveira, repórter do Estado entre 1987 e 1990. Natural de Pernambuco, Arrais tinha uma extensa bagagem profissional conquistada em quase três décadas ininterruptas de atividade jornalística.

Começou a carreira no Recife, onde trabalhou no Jornal do Commercio e no Diário de Pernambuco. Em 1978 transferiu-se para Brasília, onde se iniciou na cobertura política pelo jornal O Globo. Trabalhou depois no Jornal do Brasil e, por último, no Estado de S. Paulo.

Em 1990 deu início a um ciclo de 13 anos em assessorias de imprensa, com destaque para dois anos no Tribunal Superior Eleitoral (1990-1991) e para o período de oito anos (1995-2003) na Procuradoria-Geral da República.

Designado pelo então presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Francisco Rezek, em março de 1990, integrou a equipe de observadores eleitorais a serviço da Organização dos Estados Americanos (OEA), que acompanhou eleições presidenciais na Nicarágua.

Na sucursal de Brasília do Estado participou da cobertura da Assembleia Nacional Constituinte e da primeira eleição direta para a Presidência da República, em 1989. Em 1990 deixou o jornal para assumir a chefia da assessoria de Comunicação Social do Tribunal Superior Eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.