Divulgação
Divulgação

Morre o menino Diego do Violino, do AfroReggae

Violinista de 12 anos sofreu parada cardiorrespiratória após ter sido diagnosticado com leucemia

01 Abril 2010 | 21h07

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

 

RIO- O menino Diego Frazão Torquato, o Diego do Violino, de 12 anos, integrante do AfroReggae, morreu na noite desta quinta-feira, 1º, após sofrer uma parada cardiorrespiratória. O coordenador do grupo, José Júnior, confirmou a informação pelo twitter: "Nosso anjinho voltou pro céu".

 

Diego foi diagnosticado com leucemia na última quarta-feira, 31. O menino ganhou notoriedade no sepultamento do também coordenador do AfroReggae Evandro João da Silva, quando tocou seu violino em prantos.

 

No site do grupo, a morte do menino foi divulgada assim: "O céu ganha o brilho de uma nova estrela. Nosso anjinho voltou para lá e agora levará os acordes do seu violino por outras esferas. Mas seu sorriso, seus atos, sua bravura, tenacidade, força e docilidade ficarão pra sempre entre nós".

 

Na manhã desta quinta, na mesma página antes da morte de Diego, José Júnior deixou um depoimento sobre o violinista:

 

"Ver o pequeno-grande Diego entubado tendo uma parada cardíaca é de uma dor que não tem como descrever. Ver o Telmo gritando pra Deus perguntando o porquê desses últimos acontecimentos na sua vida - além do Diego, a sua esposa também passa por graves problemas - é algo que nos faz questionar e ao mesmo tempo meditar pensando nos desígnios divinos.

 

Tudo tem um porquê ou acreditamos ter um porquê. Nosso pequeno-grande Diego está com leucemia aguda. Se o obstáculo antes parecia grande, esse agora virou um desafio gigantesco. Não que o pequeno-grande Diego não tenha passado por enfrentamentos de grande porte. Desde muito cedo, tudo na sua vida tem sido complicado e agora aos 12 anos não poderia ser diferente.

 

Diego tem como marca pessoal a busca pela superação. Pelo lado do "homem" Diego está sendo muito bem atendido e com toda a infraestrutura médica à sua disposição. Pelo lado "divino" temos muito coisa pra pedir através de orações, mentalizações e pela fé em busca da reversão desse quadro. Como eu acredito em causas possíveis e impossíveis, creio na recuperação do nosso pequeno-grande Diego".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.