Morre o refém baleado em Benfica

O agente do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe) Marco Antônio Borgati, de 43 anos, morreu após ser levado às pressas para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro da cidade. O agente era um dos 23 reféns da Casa de Custódia de Benfica e foi ferido quando tentou fugir, aproveitando-se de um descuido dos rebelados.Sua atitude foi notada e ele levou um tiro de escopeta calibre 12 nas costas. Parentes dos presos que estão em frente à unidade prisional tentaram linchar o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Paulo Ferreira, ao dar entrevista explicando aos jornalistas que o tiro que matou o agente do Desipe foi disparado por um detento.As negociações com os rebelados foram conduzidas pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Renato Hottz. Além dele, várias autoridades do Estado já estiveram na Casa de Detenção. As negociações foram suspensas por volta das 18h30 e devem ser retomadas na manhã de segunda-feira, a partir das 8h. A rebelião já dura 36 horas e teve início ontem, por volta das 6h30, quando vários presos conseguiram escapar pelo portão de frente da unidade prisional, depois que um explosivo foi colocado na entrada principal do prédio. Do lado de fora, vários homens armados de fuzil atiraram nos militares que estavam na guarita para dar cobertura à fuga.

Agencia Estado,

30 de maio de 2004 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.