Morre oitava vítima de incêndio em ônibus no Rio

Subiu para 19 o número de mortos da onda de violência iniciada na última quinta-feira no Rio de Janeiro. O ambulante Elias Batista dos Santos, de 41 anos, que teve 75% do corpo queimado no ataque ao ônibus da Viação Itapemirim, não resistiu. Além dele, sete pessoas que estavam no ônibus morreram e quatro vítimas estão internadas. Na madrugada deste sábado, os ataques prosseguiram, apesar do reforço anunciado na segurança. "Tivemos uma madrugada com bastante policiamento e o resultado foi a apreensão de oito granadas, seis fuzis, quatro pistolas e vários revólveres", informou o comandante da PM, coronel Hudson de Aguiar Miranda. "Em menos de 24 horas a gente acabou com aquela bagunça que eles tentaram fazer".Em Cascadura, na zona norte, o soldado do Bope Márcio Ramos de Farias foi morto na manhã deste sábado, em uma tentativa de assalto. À paisana, ele teria reagido. Para a PM, esse é um dos casos que estão sendo confundidos com a onda de terror. A ligação entre os ataques da última quinta-feira e o caso do ônibus incendiado na noite desta sexta, em Nova Iguaçu, também não foi confirmada. Espírito Santo Em Cariacica, na Grande Vitória, Espírito Santo, um ônibus foi incendiado na noite desta sexta-feira, mas ninguém ficou ferido. Para a Secretaria de Segurança capixaba, o incidente não tem relação com os ataques no Rio de Janeiro.Madrugada violentaA onda de ataques iniciada na última quinta-feira, no Rio de Janeiro, continuou na noite de sexta e na madrugada deste sábado. De acordo com a polícia, pelo menos cinco traficantes teriam morrido em uma troca de tiros na favela do Muquiço, em Guadalupe, na região da Avenida Brasil. Um policial também teria morrido durante uma operação. Após o incidente na favela do Muquiço, que ocorreu por volta das 20 horas desta sexta-feira, a Polícia Militar apreendeu dois fuzis, oito bombas de fabricação caseira e uma granada. Das 700 favelas cadastradas pela prefeitura do Rio, 21 já foram ocupadas pela polícia. Na Cidade de Deus, na zona oeste, traficantes fecharam uma estrada para atacar ocupantes de veículos que trafegavam pelo local. Entre as ações dos criminosos registradas na madrugada deste sábado, está um ataque a uma delegacia de polícia em Bangu. Os oito policiais civis que estavam de plantão resistiram ao atentados e houve intenso tiroteio no local. Um homem baleado, mas foi socorrido no Hospital Carlos Chagas e passa bem. Após a troca de tiros, durante a fuga, os criminosos lançaram uma granada que explodiu, provocando danos na calçada e no muro de uma residência. Na Avenida Brasil, um outro grupo ateou fogo em um veículo durante a madrugada.Em Nova Iguaçu, criminosos atearam fogo em um ônibus da empresa Glória, que passava pela Estrada Abílio Augusto Távora, no bairro Dom Bosco. O fogo foi extinto por soldados do Corpo de Bombeiros. Segundo a polícia, sete homens que estavam em um veículo obrigaram o ônibus a parar e antes de atearem fogo, exigiram que os passageiros descessem. Não há vítimas de queimaduras, nem de intoxicação.Duas horas mais tarde, um tiroteio entre policiais e traficantes dentro da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, provocou pânico entre os motoristas que passavam nas ruas e avenidas em torno da segunda maior favela da zona oeste do Rio. Por alguns minutos, o tráfego ficou interrompido na Rua Marechal Mendes Salazar, que cruza a comunidade. De acordo com policiais do 18º Batalhão de Polícia Militar (BPM), os traficantes tentaram fechar a via ateando fogo em um sofá, mas foram impedidos pela polícia, que reagiu. A polícia não sabia se os traficantes articulavam um novo ataque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.