Morre operário vítima de explosão em fábrica de remédios em MG

Carlos Israel dos Santos Souza teve queimaduras por todo o corpo; duas pessoas seguem na UTI de hospital; outras 23 ficaram feridas

Rene Moreira, Especial para O Estado

22 Outubro 2014 | 10h21

FRANCA - Morreu na madrugada desta quarta-feira, 22, em Pouso Alegre, em Minas Gerais, o operário Carlos Israel dos Santos Souza, de 23 anos, que estava entre as 26 vítimas da explosão registrada na fábrica da Cimed. Souza teve queimaduras por todo o corpo e acabou não resistindo, sendo encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade. 

Outros dois funcionários da indústria seguem internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional Samuel Libânio. 

Quase todas as demais vítimas foram liberadas ou deixariam o hospital ainda nesta manhã. A maioria teve problemas ao inalar fumaça logo após uma estufa de secar comprimidos explodir, nesta terça-feira, 21. A causa está sendo investigada. 

Dos 1.200 funcionários que trabalham nos prédios que compõem a companhia, cerca de 150 estariam na área do acidente. Esse setor continua parado, enquanto os demais já voltaram a funcionar normalmente.

No momento da explosão, testemunhas contaram que trabalhadores saíram correndo desesperados de dentro da empresa. Os bombeiros encontraram equipamentos de segurança - como máscaras - espalhados pelo caminho.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a empresa está regular em relação à legislação de segurança e ao projeto de prevenção de incêndio aprovado.

Mais conteúdo sobre:
Minas Gerais Pouso Alegre Explosão Cimed

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.