Morre segunda vitima de explosão em tanque em Curitiba

Morreu na manhã desta quinta-feira, 19, a segunda vítima da explosão de um tanque de álcool de soja, seguida de incêndio em outro tanque, que aconteceu na quarta-feira, 18, na Importação, Exportação e Indústria de Óleos (Imcopa) de Araucária, na região metropolitana de Curitiba. O funcionário da Sincroniza, empresa terceirizada que prestava serviços à Imcopa, Douglas Erick de Souza, de 19 anos, não suportou as queimaduras em praticamente todo o corpo. No momento do acidente, o operário Armindo Ferrari, de 63 anos, que trabalhava na construtora Costa Brava, morreu. Dois operários, também da Sincroniza, permanecem internados no Hospital Evangélico, em Curitiba, em estado grave, apesar de o quadro deles ser considerado estável. Outros três tiveram alta hospitalar na manhã desta quinta. Segundo uma nota da Imcopa, a prioridade da empresa e das quatro terceirizadas - Costa Brava, Sincroniza, Morante e Intecnial - é prestar atendimento às vítimas e às famílias. As terceirizadas trabalham na construção de uma nova planta industrial. O acidente aconteceu por volta das 11 horas da manhã de quarta-feira, quando um dos tanques explodiu e as chamas atingiram o outro. Neles estavam armazenados 130 mil litros de álcool de soja, um produto que a empresa fabrica desde 2005 e que é utilizado como combustível no trabalho de esmagamento de soja. A Polícia Técnica e peritos contratados pela Imcopa ainda estão examinando o local para elaborar um laudo que aponte possíveis causas do acidente. A Delegacia de Araucária também apura o incidente em um inquérito. Na manhã de quarta, a empresa retomou parcialmente as atividades de esmagamento da soja para a produção de óleo e farelo.

Agencia Estado,

19 Abril 2007 | 14h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.