Morre segurança do filho de Lula

Morreu às 9h50 o subtenente do Exército Alcir José Tomasi, baleado ontem quando fazia a segurança do filho do presidente Luiz Inácio Lula, Sandro, em Santo André. O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSIPR), que instaurou um inquérito militar para apurar o caso além da investigação da Polícia Federal, divulgou uma nota oficial lamentando a morte do subtenente e informando que cabo Nivaldo Ferreira Santos, outro segurança que enfrentou os bandidos, foi medicado e se encontra fora de perigo de morte. Os dois seguranças aguardavam no carro, o filho de Lula que estava na casa da namorada, quando foram abordados por dois assaltantes. O subtentente trabalhava há três anos na segurança de autoridades da Presidência da República. A seguir, a nota oficial do Palácio do Planalto: O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSIPR) lamenta informar que, por volta das 09:50 horas de hoje, faleceu o Subtenente do Exército ALCIR JOSÉ TOMASI. O militar foi ferido à bala, na cabeça, durante um assalto, na noite de ontem, em Santo André, SP, quando participava da segurança de um dos filhos do Senhor Presidente da República. O ST TOMASI pertencia ao serviço ativo do Exército, ao qual prestou assinalados serviços no Brasil e no Exterior, por mais de 26 anos, os três últimos exercendo atividade de segurança de autoridades na Presidência da República. O mesmo também contribuiu com grande dedicação nas missões de paz que o Exército Brasileiro participou em Kosovo, na Europa, durante seis meses, reunindo portanto grande experiência profissional nas mais complexas missões. Seus assentamentos militares traduzem a imagem de militar e chefe de família exemplares, deixando, com sua ausência, uma lacuna entre seus pares e no Departamento de Segurança do GSIPR. A família ainda não decidiu onde o corpo será sepultado. O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República está prestando todo o apoio à família enlutada e agradece a solidariedade das autoridades do Estado de São Paulo. O outro agente de segurança ferido, Cb NIVALDO FERREIRA SANTOS, foi medicado e se encontra fora de perigo de morte. O GSIPR reitera que determinou a instauração de um inquérito policial militar com a finalidade de apurar as circunstâncias dos fatos ocorridos. Atenciosamente, Assessoria de Comunicação Social do GSI/PR

Agencia Estado,

19 Junho 2003 | 11h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.