Morre seqüestrador de irmão de dupla sertaneja

A polícia de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, instaurou inquérito para apurar a morte do seqüestrador Ademir Francisco de Oliveira, de 38 anos. Ele é um dos integrantes da família que seqüestrou, em 1998, Wellington Camargo, irmão dos cantores sertanejos Zezé di Camargo e Luciano. Ele foi encontrado suspenso na porta da cela, com um pano amarrado ao redor do pescoço no início da manhã de ontem. Foi socorrido ainda com vida, mas não resistiu. O boletim de ocorrência apontou suicídio, mas os familiares de Oliveira, enterrado hoje, em Campinas, não aceitam essa versão. O delegado do 8º DP de Ribeirão Preto, Akira Fujiyama, aguarda os laudos do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico-Legal e os depoimentos dos carcereiros, previstos para os próximos dias, para dar seqüência ao inquérito, que será concluído em 30 dias. Oliveira, considerado um dos mentores do seqüestro de Wellington Camargo, que teve parte de uma das orelhas cortada no cativeiro, estava na penitenciária de Ribeirão Preto desde 26 de abril. Oliveira foi preso em 29 de janeiro deste ano em Sumaré, durante uma operação que envolveu cerca de 30 policiais. Em julho do ano passado, em outra operação, seu irmão, Ronaldo de Oliveira, morreu durante troca de tiros com a polícia, que havia descoberto um cativeiro com outras vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.