Morre taxista que teve carro tombado por avião

Morreu hoje pela manhã o taxista Antônio Almeida Macedo, de 63 anos, que teve seu carro atirado contra as pedras, por causa do deslocamento de ar provocado pela decolagem de um avião, quando passava pela Avenida Almirante Silvio de Noronha, que contorna a Cabeceira 2 da pista do Aeroporto Santos Dumont e dá acesso à Escola Naval. O acidente aconteceu na última quarta-feira. Ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (C.T.I.), do Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio.A passagem do Boeing da Vasp a cerca de 120km/h, fez o carro de Macedo capotar por várias vezes e seu corpo ser atirado a uma distância de 25m da cabeceira da pista. Ele bateu com a cabeça nas pedras e passou por uma neurocirurgia, que durou cinco horas, para drenagem de um hematona. O acidente aconteceu quando o taxista voltava da Escola Naval, onde havia deixado um passageiro. Na ocasião, a Infraero, empresa que administra os aeroportos brasileiros, afirmou que o acidente foi causado pela imprudência do taxista, que teria desrespeitado a sinalização do local. A filha de Macedo, Adriana Macedo, de 28 anos, contestou a empresa. Segundo ela, seu pai era "inteligente e experiente" (tinha 20 anos de profissão). O corpo de Macedo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), onde passará por uma autópsia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.