Mortalidade infantil no Brasil tem redução de 75,8% em três décadas

Taxa teve redução de 69,1 para 16,7 por mil nascidos vivos; o melhor índice é de Santa Catarina e o pior, de Alagoas

Wilson Tosta, O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2013 | 11h12

RIO - A taxa de mortalidade infantil (zero a um ano de idade) teve forte queda no Brasil entre 1980 e 2010, segundo trabalho divulgado nesta sexta-feira, 2, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nessas três décadas, o número caiu de 69,1 para 16,7 por mil nascidos vivos, redução de 75,8%.

A menor taxa de 2010 foi a de Santa Catarina, 9,2 por 1000, e a maior foi a de Alagoas, 30,2. No período examinado, a região que obteve maiores declínios foi o Nordeste. Ainda assim, mantém a maior taxa, 23 por 1000 nascidos vivos.

Na mortalidade da infância (até cinco anos) ocorreu o mesmo fenômeno. Em 1980, era 84 por mil, passando a 19,4 por mil em 2010. Isso significou uma queda de 65 mortes para cada 1000 nascidos vivos e levou o País a bater, com cinco anos de antecedência, o quarto Objetivo do Milênio - reduzir em 2/3, até 2015, esse indicador, em relação a 1990.

Tudo o que sabemos sobre:
ibgemortalidadebrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.