Morte de criança em assalto no Rio choca até polícia

A morte de João Hélio Fernandes, de seis anos, chocou até a polícia do Rio de Janeiro. O delegado Hércules Pires do Nascimento, que investiga a morte do menino arrastado por sete quilômetros do lado de fora do carro de sua mãe, que havia sido roubado, classificou os criminosos de "monstros". "As pessoas nas ruas gritavam para que eles parassem. Acredito que estivessem drogados", afirmou. O Disque-Denúncia do Rio está oferecendo uma recompensa de R$ 2 mil para informações que levem à identificação e prisão dos assassinos. O telefone é 21-2253-1177. Segundo o delegado, os dois assaltantes perceberam que João Hélio Fernandes estava preso no cinto de segurança mas não pararam o Corsa. Eles estacionaram o carro, na tentativa de esconder o veículo, e fugiram a pé. A mãe da criança, Rosa Cristina Fernandes, de 41 anos, estava com a filha Aline, de 13 anos, ao seu lado, no banco da frente, e João Hélio no banco de trás. A família foi abordada quando o Corsa parou num sinal na esquina das ruas João Vicente com Henrique de Melo, no bairro de Oswaldo Cruz, na zona norte do Rio. A mãe abriu a porta traseira para tirar o garoto, mas João Hélio ficou preso pelo cinto, do lado de fora do carro. Os criminosos arrancaram, a porta do veículo fechou e o menino foi levado pendurado pelo abdome. Eles percorreram quatro bairros - Oswaldo Cruz, Campinho, Cascadura e Madureira.

Agencia Estado,

08 Fevereiro 2007 | 12h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.