Morte de empresário pode ser crime passional

A polícia de Praia Grande ainda não encontrou o assassino do empresário paulistano Carlos Garbuccio, de 41 anos, encontrado morto em seu carro na tarde desta segunda-feira em Vila Caiçara, bairro de Praia Grande.O delegado-titular do 2º DP da cidade, Carlos Battista, trabalha com a hipótese de crime passional, pois a vítima estava com seu anel de ouro e outros pertences dentro do próprio automóvel, um Peugeot 206. "Além disso, o crime não tem característica de ter sido cometido por profissionais, pois foi usada uma faca de cozinha para matá-lo." Segundo o delegado, Garbuccio tinha dois apartamentos na cidade e passava todos os fins de semana em Praia Grande, onde se relacionava com um grupo de amigos homossexuais. Nesta segunda-feira, seu corpo foi encontrado porque moradores denunciaram à polícia um fato estranho: de dentro do carro estacionado na rua saía sangue e um forte mau-cheiro.Carlos Garbuccio estava amordaçado, tinha um corte no pescoço e uma faca de cozinha enterrada no peito. Ele era sócio de uma empresa de registro de marcas e patentes na cidade de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.