Morte de modelo brasileira é destaque na imprensa mundial

A morte da modelo brasileira Ana Carolina Reston, por complicações decorrentes de uma anorexia nervosa, é destaque de vários jornais e noticiários europeus e americanos.A CNN noticiou que Míriam Reston, mãe de Ana Carolina, fez um apelo para os pais de meninas aspirantes à carreira de modelo. "Cuidem de suas crianças...nenhum dinheiro vale a vida de seus filhos, nem mesmo a marca mais famosa vale isso", publicou a rede em sua site, citando entrevista que Miriam concedeu ao jornal O Globo. A mãe de Carol, como a menina era conhecida, disse que tentou convencer a filha a comer e ir ao médico, sem sucesso."A morte de Ana Carolina Reston trouxe de volta a polêmica da presença de modelos com peso considerado abaixo da média em desfiles, um assunto que já havia sido retomado com a morte, em agosto, da modelo uruguaia Luisel Ramos, durante desfile em Montevideo", diz a matéria da CNN.Para o jornal britânico The Independent, a morte "deve causar nova auto-análise nos principais centros da moda no mundo", segundo informou nesta sexta-feira a BBC Brasil.O jornal, assim como a CNN, também citou que o debate sobre a magreza excessiva das modelos foi esquentado em agosto, com a morte de Luisel."A indústria (da moda) se vê acusada de não apenas negligenciar a saúde das modelos, mas de, através delas, encorajar jovens mulheres a levarem dietas para perder peso a extremos perigosos", disse o jornal, acrescentando ainda que modelos brasileiras e internacionais deixam muitas vezes a saúde de lado sonhando em conquistar o sucesso de modelos como Gisele Bündchen e Adriana Lima.O jornal americano The New York Post noticiou que "uma modelo brasileira bela, mas obcecada por peso, que trabalhou para algumas das melhores agências nova-iorquinas, se matou de fome".O The Times repercutiu a morte de Carol dizendo que "várias figuras importantes da moda vêm pedindo para que a indústria pare de empregar modelos ´tamanho zero´" ( tamanhoequivalente ao 32 no Brasil).O The Times, publicou a BBC Brasil, diz que a idéia de uma proibição geral desagrada outras figuras de destaque do mundo da moda. O jornal cita a declaração de um porta-voz da marca Chanel, de que "a anorexia é um problema social". "As pessoas não deveriam criar uma controvérsia falsa. O mundo da moda não é responsável pela anorexia."O diário The Daily Telegraph diz que a morte de Carol acontece "em meio a temores de que estilistas ainda estejam usando modelos ?tamanho zero? que sofrem de anorexia apesar dos apelos para que sejam banidas por encorajar distúrbios alimentares em jovens mulheres".Para o El País, o caso "reanimou as críticas contra o uso de modelos extremamente magras em desfiles de moda".Matéria alterada às 12 horas para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.