Morte de suposto traficante causa protesto no Rio

A morte de um suposto traficante do morro do Escondidinho, em Santa Teresa, no centro, fez com que cerca de 70 pessoas fechassem a Rua Alice, em Laranjeiras, zona sul, no início da tarde desta segunda-feira.Eles colocaram fogo em pneus e queimaram um ônibus da linha 407 (Largo do Machado-Silvestre). Policiais do 2º Batalhão da PM (Botafogo) e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Depois, parte dos manifestantes foi até o Palácio Guanabara, sede do governo do Estado, onde foram recebidos pelo comandante da PM, coronel Francisco Braz.Wagner dos Santos Silveira, de 21 anos, foi baleado por volta das 17 horas deste domingo, durante tiroteio entre policiais do 2º batalhão e traficantes, na Rua Doutor Júlio Otoni, em Santa Teresa. Silveira morreu no Hospital Miguel Couto, no Leblon, zona sul. Segundo a polícia, ele e outros dois homens estavam vendendo drogas quando foram surpreendidos. Um revólver calibre 38, oito trouxinhas de maconha e 25 papelotes de cocaína foram apreendidos.De acordo com o coronel Braz, foi uma operação normal da polícia, que teria sido recebida a tiros por criminosos. Revoltados, cerca de 70 moradores do morro seguiram para a Rua Alice, em Laranjeiras, e, segundo o Corpo de Bombeiros, fizeram uma barricada com pneus queimados e incendiaram um ônibus.O fogo foi controlado pelos bombeiros. Em seguida, 50 manifestantes foram até o Palácio Guanabara, onde foram recebidos pelo comandante da PM. O coronel Braz informou que uma sindicância foi aberta para investigar as circunstâncias da morte de Silveira. Nesta terça, às 15 horas, ele participará de um encontro com os moradores para dar informações sobre o caso e ouvir a comunidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.