Morte em Ribeirão em 2006 pode ter sido dengue hemorrágica

Outra morte por dengue hemorrágica no Estado de São Paulo foi confirmada nesta quarta-feira, 21. O caso, porém, ocorrido em Ribeirão Preto, refere-se ainda a 2006. Um homem de 62 anos, que residia no Quintino Facci 2, morreu em novembro após várias complicações do seu quadro clínico. Ele passou até por cirurgia, mas não resistiu. Somente na terça-feira, 20, a Vigilância Epidemiológica do município de Ribeirão Preto teria recebido a confirmação do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado. Mas a Secretaria Estadual da Saúde, por meio de sua Assessoria de Imprensa, informou na tarde desta quarta que aguarda o resultado dos exames e não confirma o caso, que não é referente a 2007. O primeiro caso de morte por dengue hemorrágica neste ano ocorreu em Itanhaém e foi confirmado nesta semana.Com a informação divulgada nesta quarta, a Vigilância Epidemiológica de Ribeirão Preto passa a contabilizar 16 casos de dengue hemorrágica em 2006, sendo dois deles com mortes. E a estatística do Estado, no ano passado, se for confirmada, subiria de 37 para 38 casos hemorrágicos, saltando de seis para sete óbitos.O combate à dengue preocupa em Ribeirão Preto, pois a cidade já teve três epidemias da doença: em 1990 (2.305 casos), 2001 (3.190) e 2006 (5.228, embora o Estado contabilize apenas 4.453, já que vários exames não foram feitos no Instituto Adolfo Lutz, mas no município). E, segundo a enfermeira Silvia Assumpção, já existem 192 casos confirmados neste ano, além de mais de 800 ainda suspeitos e aguardando resultados laboratoriais. A prefeitura lançou neste mês o Disque-Dengue e existem mais de 800 casos suspeitos da doença. No ano passado, a primeira morte por dengue hemorrágica em Ribeirão (e também no Estado) ocorreu em janeiro, de um homem de 54 anos, que morava no Quintino Facci 1.Texto alterado às 18h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.