Beach Park
Beach Park

Morte no Beach Park: boia de grupo ultrapassava em 23% peso permitido

Perícia apontou que grupo somava 395 quilos, quando a previsão máxima era de 320. Radialista morreu na segunda-feira passada e família cogita acionar o parque judicialmente para solicitar indenização

Lauriberto Braga, Especial para O Estado

18 Julho 2018 | 18h05

FORTALEZA -  Os peritos que investigam a morte do radialista Ricardo José Hilário da Silva, de 43 anos, no toboágua Vainkará, do parque aquático Beach Park, constataram que a boia que levava o grupo de quatro pessoas na descida do brinquedo ultrapassava em 23,4% o peso permitido. O peso dos quatro integrantes totalizava 395 quilos, quando o máximo permitido era de 320 quilos.

Das quatro pessoas que foram arremessadas da boia, Ricardo Hill foi o único que bateu a cabeça na estrutura no toboágua, tendo traumatismo craniano e morte imediata. Michele Laverde teve escoriações leves nos braços e nos seios. Tarcísio Pontes e Mateus Sena saíram ilesos. Michele pesa 90 quilos. O mesmo peso de Ricardo. O mais pesado era Mateus com 110 quilos. Tarcísio pesa 105 quilos.

Mateus Sena reconhece que havia uma placa na descida do brinquedo advertindo para o peso máximo, mas não havia conferência através de balança do peso de cada grupo na hora do uso. Com isso a família de Ricardo Hill estuda solicitar uma indenização do Beach Park por negligência.

O parque, através de nota, garante que todas medidas de segurança são adotadas para o uso dos brinquedos. "O parque reitera que é completamente equivocada a informação de que a boia ultrapassou a barreira de contenção do brinquedo e que os visitantes tenham sido arremessados. A boia virou no final do percurso dentro da atração, já próximo da piscina. A perícia está sendo realizada pelas autoridades com apoio do Beach Park e a identificação das causas do acidente só será confirmada após a finalização deste trabalho. O Beach Park lamenta muito o ocorrido e reforça seu compromisso prioritário com a segurança e a integridade de seus visitantes por meio de treinamentos diários com toda a equipe". A perícia, que ainda não foi encerrada, será encaminhada à Delegacia de Proteção ao Turista, que tem 30 dias para concluir o inquérito.

Nesta quarta-feira, 18, o Beach reabriu, depois de um dia de luto, mas o Vainkará continua interditado por tempo indeterminado para investigação. O movimento no parque após o acidente fatal foi pequeno em relação a expectativa do empreendimento para esta alta estação. O corpo de Ricardo Hill foi sepultado nesta tarde, no cemitério da Consolação, em Sorocaba. 

Posicionamentos. Em nota, o Beach Park disse que a "informação que está sendo disseminada na imprensa sobre resultados prévios da perícia, referente ao peso dos envolvidos no acidente do último dia 16, não é oficial". Afirmou também que o "parque segue apoiando os órgãos responsáveis na apuração e não especula as causas até a conclusão oficial desse trabalho". Ainda segundo o empreendimento, não houve redução de público após o acidente e a frequência está dentro da média esperada para o mês. 

Já a Perícia Forense do Estado disse que as perícias técnicas deverão ter os laudos concluídos em até um mês, podendo ser prorrogados por mais 30 dias. Informou ainda que não  "não repassa qualquer dado preliminar durante o processo de elaboração dos laudos para não comprometer a investigação policial". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.