Morte por asfixia de 3 presos será investigada

A Polícia Civil e a Secretaria de Administração Penitenciária anunciaram nesta terça-feira a abertura de inquérito e sindicância para apurar a morte por asfixia de três presos da Penitenciária de Andradina. Os detentos Marco Antônio Soares da Silva, Oziel Rodrigues e Francisco Wylton Cavalcanti Silva, todos membros do PCC, morreram depois de permanecer por oito horas dentro de uma viatura no pátio externo da penitenciária, nesta segunda-feira. Dentro da viatura ainda estavam mais três presos, que sobreviveram. Dois deles prestaram depoimentos nesta terça-feira ao delegado Tadeu Aparecido Coelho, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Andradina. Segundo a polícia, Francisco Silva morreu em conseqüência de uma briga com um dos colegas dentro da viatura. O delegado Tadeu Aparecido Coelho ainda desconhece os nomes dos agentes penitenciários envolvidos na morte dos presos, mas já adiantou que eles podem responder por homicídio doloso, caso fique comprovado que deixaram os presos trancafiados na viatura propositalmente. Os seis presos teriam sido colocados na viatura às 9h de segunda-feira, depois de causar tumulto dentro da penitenciária pelo fato de os demais detentos não terem aderido à megarrebelião ocorrida no domingo em várias unidades do sistema penitenciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.