Mortes causam protestos em morro do Rio

A morte de duas pessoas no Morro Santo Amaro, no Catete, zonasul do Rio, provocou nesta quinta-feira protestos de moradores e fechamento do comércio na Rua Pedro Américo, que dá acesso à favela e onde fica a delegacia do bairro. Segundo a polícia, Djalma Medeiros da Silva, de 22 anos, e Cleiton da Silva Lima, de 15, tinham ligação com o tráfico de drogas no local, que é comandado pelo bandido Marco Antônio Pereira Firmino, o My Thor, um dos líderes da rebelião em Bangu 1.Moradores contaram que, por volta das 22h30, houve intenso tiroteio entre traficantes e policiais. Revoltados com as mortes, eles usaram entulho para impedir o tráfego na rua, durante a madrugada. De manhã, parte dos comerciantes decidiram não abrir as lojas, apesar da presença dos policias militares, mas à tarde o comércio já estava funcionando normalmente, segundo informou a polícia. O dirigível da Secretaria de Segurança Pública chegou a sobrevoar o local. Os lojistas disseram que não houve ordem do tráfico e a medida havia sido tomada por precaução.Sônia da Silva Lima, de 31 anos, mãe de criação de Cleiton da Silva Lima, negou que ele tivesse envolvimento com traficantes. Segurando a foto de Cleiton, ela disse ontem que ?queria mostrar a injustiça?. No morro, bandeiras pretas indicavam o luto pelas duas mortes. O comércio permaneceu fechado durante todo o dia. No chão, havia vestígios de sangue.Djalma Medeiros da Silva já havia sido preso temporariamente sob acusação de participar da morte de um PM, três meses atrás. Ele era gerente das bocas-de-fumo que vendem maconha no Santo Amaro, de acordo com a polícia, e foi posto em liberdade ao fim de um mês de detenção. Durante a operação policial na favela, nenhum bandido foi preso. Foram apreendidos uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 38, uma granada, 173 sacolés de cocaína, duas trouxinhas de maconha e um carregador de pistola.Em outra troca de tiros, os traficantes Destefano Reis Monteiro, de 23 anos, e Adnilsom Silva Leopoldo, de 24 anos, o ?Dancing?, morreram ontem à tarde, depois de uma troca de tiros com a Polícia Militar, na Favela Parque União, na zona oeste. Segundo os policiais, Leopoldo seria o gerente do tráfico da Favela Nova Holanda e era sobrinho do traficante Márcio da Silva Macedo, o Gigante, outro criminoso que participou do motim em Bangu 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.