Mortes foram por asfixia, diz Defesa Civil

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Olavo Santana Filho, disse que os oito rapazes mortos na explosão de fogos de artifício numa casa da Vila Carolina, zona norte da cidade, morreram por asfixia. Apenas um deles sofreu algumas queimaduras. No momento da explosão, o grupo preparava a cangalha (parte do balão que leva os fogos de artifício) na garagem da residência da Rua Marcelino de Camargo, 369. O dono da casa e a noiva dele conseguiram correr e se salvaram. Os oito rapazes que se trancaram na residência acabaram morrendo por asfixia. Os nomes dos oito mortos: Fábio Jesus Silva (19 anos), Douglas dos Santos (23 anos), Jorge Domingos de Oliveira Neto (22 anos), Luciano Samuel Oliveira (18 anos), Fábio Correia de Oliveira (21 anos), José Bueno de Souza (21 anos), Renato Luiz e Marcelo Neves, ambos com as idades ainda não informadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.