Mortes nas estradas diminuem 6,2% em 5 meses

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou ontem um levantamento que aponta redução de 6,2% nas mortes em estradas federais nos cinco primeiros meses da lei seca, em comparação com o mesmo período do ano passado. Foram 2.779 de 20 de junho - quando a medida entrou em vigor - a 20 de novembro, ante 2.962 dos meses equivalentes de 2007. No primeiro balanço, em julho, a queda havia sido maior, 14,5%. A quantidade de acidentes aumentou 9,3%, de 51.863 para 56.689. O número de feridos também subiu, 2,4%. A PRF, no entanto, comemora uma melhora no índice de acidentes com mortes. Neste ano, foram 25,1 acidentes por morte, enquanto em 2007 foi 21,5. Os dados da PRF também mostram que é alto o número de brasileiros que desrespeitam a Lei 11.705 (lei seca). Foram autuados 5.314 motoristas e 2.828 foram presos por dirigir embriagados.Os números das estradas federais são parecidos com os das capitais brasileiras, divulgados há um mês pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). As mortes caíram 7% em quatro meses e os acidentes apresentaram uma redução de 1,5%. Neste ano, foram 13.459 acidentes com vítimas, ante 13.672 de 2007. Pela nova lei, com 2 decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,1 miligrama por litro de ar expelido no bafômetro, o motorista recebe multa de R$ 957,70, perde a habilitação e tem o veículo apreendido. Caso seja flagrado com 6 decigramas por litro de sangue ou 0,3 miligrama por litro de ar, responde criminalmente, sujeito à pena de até 3 anos de prisão, com direito a fiança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.