Mortes nas estradas federais crescem 49,37% no feriado

Acidentes violentos marcaram o feriado da Semana Santa, elevando em 49,37% o número de mortes nas rodovias federais, durante deste ano, em comparação ao mesmo período no ano passado. Da última quinta-feira ao domingo, morreram 118 pessoas nas estradas federais, 39 vítimas a mais do que em 2001. O número de acidentes cresceu 7,73%, passando de 1.294 para 1.394 registros. Só houve redução entre os feridos (-4,7%). O resultado da Operação Semana Santa e o volume de carros nas rodovias (50% maior), durante o feriado, surpreenderam o Departamento de Polícia Rodoviária Federal. Principalmente, porque as mortes se concentraram na sexta-feira e no sábado, datas em que historicamente sempre ocorreu menos acidentes. Em 2001, apenas oito faleceram no dia santo e 11, no dia seguinte. Desta vez, 42 pessoas morreram na sexta-feira e 26, no sábado.Para o coordenador-geral de Operações do DPRF, Reinaldo Szyoloski, a irresponsabilidade do motorista no trânsito foi a principal causa do crescimento das mortes nas estradas. "A violência foi demonstrada pela agressividade e falta de sensibilidade do motorista que fez ultrapassagem inadequada e excedeu o limite de velocidade", lamentou. Os piores acidentes ocorreram no interior do País, longe dos grandes centros e dos pontos críticos mapeados pelo DPRF, que reforçou a fiscalização nestes locais. Szyoloski explica que, estrategicamente, as equipes de policiais rodoviários são posicionadas alguns quilômetros antes de curvas, cruzamentos perigosos e onde não há passarela para pedestre, entre outros. "Normalmente, o motorista percorre 10 a 15 quilômetros com mais cautela, após passar por uma fiscalização." Mas, este ano, o esquema não foi suficiente porque os motoristas abusaram da velocidade em estradas menos vigiadas, conforme mostram as estatísticas. OcorrênciasO Estado de São Paulo teve um crescimento no número de acidentes passando de 111 ocorrências em 2001 para 147, neste ano. Porém, os feridos permaneceram em 64 e caiu de 8 para 3 o registro de mortes. "O comportamento irresponsável do motorista", conforme Szyoloski, foi mais percebido em Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. Segundo o coordenador da operação, embora tenha havido redução de 15,6% nos acidentes em Minas, houve mais violência nas estradas provocando aumento de 180% nas mortes. Em Santa Catarina, no ano passado, apenas duas pessoas morreram no feriado da Semana Santa, desta vez foram 14 vítimas. No Paraná, onde não houve mortes na operação do ano passado, quatro pessoas não resistiram aos ferimentos.O coordenador do DPRF acredita que campanhas educativas de trânsito devem ser retomadas imediatamente para evitar a imprudência nas estradas. Além disso, ele defende punição dos infratores para que percebam que há "o olho da fiscalização sobre eles". Nesta operação da Semana Santa, mais de 15 mil motoristas foram autuados. Pela primeira vez, 312 carros da Polícia Rodoviária circularam com computadores a bordo acoplados ao sistema de GPS o que permitiu a checagem de placa de carros e situação dos motoristas. Com ajuda deste sistema e os demais policiais rodoviários que participaram da operação, foram detidas 87 pessoas, recuperados 19 carros roubados e apreendidos 862 carros, 16 armas e 108 cartuchos de munição, durante a Semana Santa.

Agencia Estado,

01 de abril de 2002 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.