Morto bombeiro acusado de formação de quadrilha no Rio

Vítima foi assassinada por grupo de homens no Recreio dos Bandeirantes, e foi baleado com tiros de fuzil; bombeiro respondia processo em liberdade

Solange Spigliatti, Central de Notícias

10 de novembro de 2010 | 14h51

SÃO PAULO - O terceiro sargento do Corpo de Bombeiros, Antonio Carlos Macedo, de 40 anos, foi morto na manhã desta quarta-feira, 10, na praia da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

Ele teria sido abordado por um grupo de homens que estava em um veículo na Avenida Lúcio Costa. Ao se aproximarem, dispararam com um fuzil contra o bombeiro, que morreu no local. Em seguida, o bando ateou fogo no veículo, fugindo em outro carro, segundo os bombeiros.

Macedo respondia em liberdade pelo crime de formação de quadrilha. A prisão dele ainda não havia sido decretada pela Justiça, de acordo com os bombeiros. Ele trabalhava há 24 anos na corporação e atualmente estava realizando trabalhos administrativos no Comando de Bombeiros das Atividades Especializadas.

Tudo o que sabemos sobre:
crimebombeiroquadrilhaassassinatoRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.