Mortos no trânsito já superam assassinatos

A redução do número de homicídios em 70% no Estado de São Paulo nos últimos nove anos provocou um fenômeno inesperado: o número de mortos em acidentes de trânsito superou o de vítimas de assassinato no Estado. "Com isso, a participação de vítimas de classe média aumentou", afirmou o pesquisador Túlio Kahn, da Coordenadoria de Análise e Planejamento da Secretaria de Estado da Segurança Pública. Em 1999, quando foi registrado o recorde dos casos de assassinatos, cerca de 3 mil pessoas eram mortas no Estado a cada trimestre. No segundo trimestre de 2008, esse número caiu para 1.047. Apenas 0,45% das vítimas desse tipo de crime tinha curso superior - proporção que permanece. Ao mesmo tempo, os casos de homicídios culposos (incluindo os acidentes de trânsito) têm entre suas vítimas 13% de pessoas com curso superior. Esse tipo de crime ficou praticamente estável desde 1999 - houve redução de 8%, comparando-se os dados do trimestre (1.295) com o mesmo período daquele ano (1.409). A redução dos assassinatos em 70% em nove anos fez com que, pela primeira vez, desde a criação das estatísticas criminais trimestrais, em 1996, os casos de homicídios culposos (sem intenção) superassem os dolosos (com intenção). Foi isso que fez com que as pessoas da classe média tivessem uma participação maior entre as vítimas de mortes violentas - soma dos casos de homicídios dolosos com os culposos. Essa é uma das razões que levaram a Secretaria da Segurança Pública a investir em programas como o Direção Segura e apostar nas blitze para fazer cumprir a lei seca. A secretaria também decidiu continuar a política de apreensão de armas de fogo, considerada uma das principais responsáveis pela queda dos assassinatos. TENDÊNCIA Anteontem, a secretaria divulgou os dados sobre a criminalidade no segundo trimestre deste ano, mostrando que a tendência de diminuição dos casos de homicídios dolosos continua forte no Estado. O número de 1.047 assassinatos representa uma diminuição de 16,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A queda segue acentuada na capital, o que fez com que, pela segunda vez desde 1996, o total de homicídios na cidade fosse superado pela soma do número registrado nos demais municípios da Grande São Paulo. A queda nos assassinatos ocorreu em grande parte do Estado: atingiu cerca de 500 dos 648 municípios.

Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

01 Agosto 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.