Morumbi enfrenta nova onda de assalto a casas de alto padrão

Bairro registrou 9 invasões em 10 dias, a maioria em residências de famílias que viajaram

Josmar Jozino, O Estadao de S.Paulo

07 de janeiro de 2009 | 00h00

Em dez dias, assaltantes invadiram nove casas de alto padrão do Morumbi, um dos bairros mais nobres da zona sul de São Paulo, chamado por alguns moradores, no entanto, de "paraíso dos ladrões". Os crimes foram registrados no período de 24 de dezembro a 3 de janeiro, na área do 34º Distrito Policial (Vila Sônia). A maioria das vítimas havia viajado durante as festas de fim de ano. O regresso foi amargo. Os bandidos só deram trégua na noite do dia 31. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, nenhum criminoso foi preso.No dia 3, uma família retornou de viagem e encontrou a casa arrombada. Os assaltantes escalaram o muro e entraram pela porta da cozinha. Foram furtados US$ 8 mil, dois aparelhos de DVD, máquinas digitais, folhas de cheque e uma televisão LCD de 26 polegadas. Os criminosos ainda picharam as paredes da sala da residência.A mesma decepção foi vivida por outra família. Na madrugada do dia 1º, uma vizinha telefonou para os moradores e comunicou o furto. Os ladrões arrombaram a porta da sala e levaram até o cofre com R$ 15 mil, 1,5 mil, talões de cheques, joias, relógios e duas armas de fogo. O vigia da rua não trabalhou no dia do crime.Às 16 horas de 30 de dezembro, dois ladrões entraram em uma outra casa e trancaram a empregada e a cozinheira em um banheiro. Os donos da residência viajavam. Foram roubados quatro relógios, dois aparelhos de DVD, quatro TVs de plasma e joias da família.Um dia antes, ladrões entraram na casa de um aposentado de 53 anos. Eram 22h30. A janela e duas portas foram arrombadas pelos bandidos. Eles furtaram máquinas fotográficas, aparelhos eletrônicos e telefones celulares. O dono avaliou o prejuízo em R$ 120 mil.No dia 28 de dezembro, um casal retornava do Japão e foi surpreendido por ladrões. Os criminosos entraram na casa e levaram US$ 3 mil, laptop, joias, relógios, R$ 50 mil em mercadorias japonesas e o controle remoto do portão. No dia anterior, outra moradora saiu para trabalhar e pediu para a vizinha olhar sua casa. Às 15 horas, ela foi avisada sobre o furto. Ladrões cortaram a cerca elétrica, desligaram o alarme e levaram TVs, documentos, talões de cheque e perfumes.Em 26 de dezembro, a governanta de uma casa foi feita refém por criminosos. Os patrões viajavam. Foram roubados óculos, roupas de grife, perfumes importados, joias e carteiras. Na tarde de Natal, a casa de uma corretora de imóveis de 52 anos também foi invadida no bairro. Foram levados relógios , joias e um notebook. Na noite anterior, ladrões escalaram o muro da residência de um advogado de 64 anos. Foram furtados brilhantes, um anel de esmeralda, brincos, colares, R$ 15 mil, US$ 4,5 mil e 4,5 mil.HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA Os moradores do Morumbi estão agora tão amedrontados que a cada dia reforçam a segurança de suas casas. A comunidade do Cidade Jardim Panorama, por exemplo, contratou um especialista em segurança que está implantando um modelo americano. Carros com profissionais especializados munidos de sistema de radiocomunicação farão ronda na região. Também estão sendo instaladas câmeras. A proposta é que todo esse contingente fique bem à vista para intimidar a bandidagem. Nenhum dos seguranças trabalha com armas.Em outras regiões do Morumbi, porém, alguns moradores começam a contratar vigilantes armados. "Sei que não é certo e de uma certa maneira são como milícias, mas a questão é que estamos desesperados", afirmou um morador. Por todas as ruas é possível ver guaritas e seguranças privados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.