Motim no presídio de Urso Branco termina sem feridos

O motim no presídio José Mário Alves, o Urso Branço, em Porto Velho, terminou no início da noite de domingo, 18, sem feridos. Todos os reféns foram libertados e nenhum dano ao patrimônio foi registrado pela direção da unidade prisional.Ao final da visita de sábado, 17, 174 familiares de presos não deixaram o presídio em solidariedade à manifestação. Entre os visitantes estavam 19 crianças. Os presidiários iniciaram o movimento para forçar a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de Rondônia (Seapen) a atender suas reivindicações. Entre elas, transferir de volta para Porto Velho 10 presos que foram levados no inicio do mês para o presídio de Nova Mamoré, a cerca de 300 quilômetros da capital, além da saída de 120 presos que foram levados para o Urso Branco depois de uma briga entre grupos rivais no presídio Ênio Pinheiro, também na capital.Segundo o titular da Seapen, Gilvan Cordeiro Ferro, não foi necessária uma ação da Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar para pôr fim ao protesto. A última rebelião no Urso Branco ocorreu em dezembro de 2005, também sem vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.