Motociclista é preso por suspeita de participação em mortes de mulheres

Homem tinha mandado de prisão por assalto e formação de quadrilha; detido negou envolvimento em homicídios em Goiânia

Marília Assunção, Especial para O Estado

08 Agosto 2014 | 21h53

GOIÂNIA - A Polícia Civil de Goiás prendeu na noite desta quinta-feira, 7, um homem suspeito de envolvimento em dois dos crimes contra mulheres em Goiânia. O homem tinha mandado de prisão por assalto à mão armada e formação de quadrilha. Ele foi preso em casa, onde guardava uma motocicleta, capacetes e roupas - tudo preto. Nenhuma prova ligando diretamente o investigado com as 15 mortes foi encontrada ainda.

O preso prestou um primeiro depoimento e negou participação nos homicídios. Ele deve ser ouvido novamente nos próximos dias. A identidade do rapaz e o local onde ele ficará recluso foram mantidos em sigilo. A prisão foi confirmada em entrevista na Secretaria de Segurança Pública de Goiás na tarde desta sexta-feira, 8, pelo superintendente de Polícia Judiciária de Goiás, delegado Deusny Aparecido. 

O delegado preferiu não divulgar quais são os dois casos que podem ter ligação com o investigado. Também não informou como a polícia chegou ao suspeito nem o bairro onde foi detido. Ele comentou apenas que o suspeito tem longa ficha criminal. A prisão é preventiva, relacionada aos outros crimes.

As mortes em sequência começaram em janeiro - o último registro aconteceu no dia 2, com o homicídio de uma adolescente de 14 anos, em um ponto de ônibus. A maioria das vítimas foi alvejada em locais públicos e recebeu tiros no peito - os tipos e calibres das armas ainda não foram divulgados pela Polícia para não atrapalhar as investigações.

Números. A força-tarefa criada esta semana agora apura 17 ataques envolvendo 15 mortes de mulheres, uma de 1 homem (ligada aos outros casos) e apenas uma tentativa de homicídio. O número caiu de 18 para 17 porque outra vítima agredida que sobreviveu não teria ligação com os casos e informações falsas a respeito teriam atrasado as investigações. Segundo informou o delegado, essa tentativa de homicídio sequer teria acontecido, "prejudicando sobremaneira nossa apuração".

Mais conteúdo sobre:
Goiás Goiânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.