RENATO CÉSAR PEREIRA|FUTURA PRESS
RENATO CÉSAR PEREIRA|FUTURA PRESS

Motociclista gravado a 400km/h na Anhanguera tem habilitação suspensa

Com as imagens, Polícia Militar Rodoviária identificou o motorista, que disse ter atingido a velocidade para conferir se a potência da moto correspondia ao que tinha sido informado pelo fabricante

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2017 | 15h58

SOROCABA – Um motociclista teve a habilitação suspensa por dois anos depois de divulgar um vídeo em que pilotava sua moto a 400 quilômetros por hora na Rodovia Anhanguera, na região de Jundiaí, interior de São Paulo. Para se ter uma ideia da velocidade, um avião bimotor Piper Seneca atinge no máximo 378 quilômetros por hora. No vídeo, que teria sido gravado no dia 20 de setembro, é possível ver o velocímetro do painel de uma moto Kawasaki Ninja travado em 229 km/h, mas o medidor instalado logo abaixo registra 401 km/h. O motociclista também é filmado em alta velocidade na pista.

Com base nas imagens, a Polícia Militar Rodoviária identificou o motociclista. O empresário Vanderson Reis se apresentou e foi ouvido, nesta sexta-feira, 6, na Delegacia Seccional de Jundiaí. Ele alegou que atingiu aquela velocidade para conferir se a potência da moto correspondia ao que tinha sido informado pelo fabricante. Segundo ele, o teste foi feito em horário de pouco movimento na rodovia. O empresário reconheceu o erro e se disse arrependido pelo acontecido.

De acordo com a Polícia Civil, Reis teve a carteira de habilitação suspensa por dois anos, em razão da gravidade da infração – ele pilotava a uma velocidade quatro vezes maior que a máxima da rodovia, que naquele trecho da Anhanguera, é de 100 km/h.

O motociclista terá de passar pelo curso de reciclagem para recuperar o direito de dirigir. Ele teve a moto apreendida e responderá pelo crime de direção perigosa, com pena prevista de detenção de seis meses a um ano, ou multa. O Estado tentou contato com Reis, mas não obteve retorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.