Motorista de van que arrastou menina no Rio é indiciado

Menina foi arrastada por 10 metros; caso seja condenado, ele pode pegar até 6 anos na prisão

Solange Spigliatti, Central de Notícias,

10 Julho 2009 | 08h04

O motorista Ronaldo Marinho Loura, da Viação Expresso Pégaso, foi indiciado na quinta-feira, 10, pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por homicídio culposo qualificado. Segundo o MP, ele é acusado de matar a menina Luana da Silva Macedo, no dia 30 de junho, após ter sido arrastada cerca de 10 metros pelo ônibus da linha S-10 (Centro-Recreio), dirigido por Ronaldo.

Na denúncia, o promotor responsável constatou que o motorista agiu com imprudência, tanto ao fechar a porta, quanto ao partir com o ônibus, já que às 17h20, horário em que Luana foi atropelada, havia sempre um grande número de estudantes utilizando o transporte coletivo.

Segundo relatos, Luana e alguns colegas tentaram entrar pela porta da frente, mas foram impedidos pelo motorista. A menina, então, tentou subir no ônibus pela porta traseira, mas percebendo que o ônibus estava muito cheio, desceu. Nesse momento, o ônibus acelerou e a porta foi fechada, prendendo Luana, o que acabou resultando em sua morte.

O MP já encaminhou a denúncia à Justiça, pedindo a condenação de Ronaldo. Caso seja condenado por homicídio culposo (sem intenção de matar), mas qualificado (já que Ronaldo era motorista profissional), a pena pode variar de dois a seis anos de prisão.

Mais conteúdo sobre:
trânsito RJ acidente escolar van

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.