Motorista pode enfrentar chuva e quedas de barreira no feriado

Os policiamentos rodoviários estadual e federal estão alertando os motoristas que vão pegar estradas no feriado prolongado para o risco de quedas de barreiras em algumas rodovias. Há previsão de chuvas na maior parte das regiões. A Régis Bitencourt (BR-116), que liga São Paulo a Curitiba (PR), tem vários pontos sujeitos a deslizamentos entre os quilômetros 536 e 557, em Barra do Turvo, perto da divisa de São Paulo com o Paraná. A estrada é a rota das excursões que se dirigem às festas de Santa Catarina, como a Oktoberfest, em Blumenau, e nesse trecho ainda não foi duplicada. Segundo o inspetor-chefe do núcleo de policiamento e fiscalização de Registro (SP), José Carlos Cajaíba Dias, as chuvas causaram queda de barreira no km 555. Máquinas removeram a terra, liberando a passagem nos dois sentidos, mas há risco de nova interrupção no tráfego se continuar chovendo. Ele alertou para o acúmulo de água na pista, entre os quilômetros 544 e 557, podendo ocorrer acidentes por aquaplanagem. A rodovia também não está duplicada entre os quilômetros 336 e 384, em Miracatu. O trecho, correspodente à Serra do Cafezal, é sujeito a queda de barreiras. Nas rodovias estaduais, a Santos Dumont (SP-79) apresenta risco de deslizamentos na Serra de Tapíraí, entre essa cidade e Juquiá. A estrada, que dá acesso ao litoral sul, tem erosões com interdição parcial da pista. A Raposo Tavares (SP-27) tem o asfalto deteriorado entre os quilômetros 245, em Paranapanema, e 280, em Itaí. Além dos buracos, faltam acostamentos. A rodovia, não duplicada, deve ser evitada nesse trecho. A opção é a Castelo Branco. As condições da Marechal Rondon são críticas entre o km 172, em Laranjal Paulista, e 184, em Conchas, por causa dos buracos e erosões. Os motoristas devem optar pela Castelo. A SP-143, que interliga a Castelo e a Rondon a partir de Cesário Lange, está intransitável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.