Motoristas aprovam fim de vagas em Pinheiros

Mudança de estacionamento em 13 ruas causa confusão, apesar de melhorar fluidez; carros foram guinchados logo no primeiro dia

Naiana Oscar, O Estadao de S.Paulo

02 de setembro de 2008 | 00h00

Mesmo confusos e até desinformados sobre as novas regras de estacionamento nos bairros de Pinheiros, Moema e Vila Olímpia, os motoristas aprovaram as restrições. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não divulgou o impacto das mudanças nas 13 ruas, mas quem passou pelo local percebeu uma melhora no trânsito. Confira mapas com as mudanças das vagas de cada bairroNa Rua do Rocio, onde até semana passada era permitido estacionar nos dois lados da via, a Prefeitura instituiu Zona Azul no lado par e proibiu o estacionamento, das 7 às 20 horas, no lado ímpar. "Até a semana passada, eu daria nota 2 para o trânsito aqui na rua. Hoje, dou nota 7", disse o garçom Nilson Pereira, de 35 anos, que trabalha na região há 4. Parte da rua foi sinalizada com cavaletes. Um deles indicava o guinchamento de um veículo, apesar de os marronzinhos afirmarem que o primeiro dia seria só de "orientação". A CET não informou o número de carros guinchados nem a quantidade de multas aplicadas.Na Rua Helena, também na Vila Olímpia, o motorista Everaldo Nunes se surpreendeu com a facilidade com que conseguiu uma vaga para estacionar na Zona Azul. "Antigamente tinha de ficar rodando para encontrar lugar, agora acho que aumentou a rotatividade", disse. Perto dali, um estacionamento registrou aumento de 15% no número de clientes.O valor da primeira hora na região permanece o mesmo - em média, R$ 8 -, mas o medo dos motoristas é que a restrição inflacione os estacionamentos (mais informações nesta página). "Naturalmente, já era difícil encontrar um lugar para deixar o carro. A procura com certeza fará o custo aumentar", disse o arquiteto Paulo Bastos, presidente da Associação de Moradores do Alto de Pinheiros. Sem saber onde estacionar na Rua Teodoro Sampaio, a psicóloga Marina Machado, de 45 anos, acabou infringindo a sinalização. Para tentar despistar os marronzinhos, deixou o pisca-alerta ligado e correu para pegar o filho na escola. "Vou contar com a sorte porque não encontrei vaga aqui perto", disse. Naquele trecho, não havia agentes da CET. "É péssimo atrapalhar o trânsito, mas não tinha outro jeito", disse a psicóloga, enquanto outros pais começavam a parar em fila dupla na rua. Os comerciantes da região se sentiram prejudicados. "Vai ficar difícil para receber mercadoria e para nossos clientes", disse a empresária Sônia Onishi Ide, dona de uma papelaria. Ela reclamou da falta de informação e de orientação por parte da Prefeitura. Em Moema e na Vila Olímpia foram criadas 100 novas vagas de Zona Azul, além de 11 vagas para carga e descarga e 30 outras vagas para motocicletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.