Motoristas com mais de 85 anos terão cartas bloqueadas

Estão se tornando comuns os casos em que motoristas transferem a pontuação de suas multas de trânsito para o cadastro de pessoas mortas. Para coibir esse golpe, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) vai bloquear o cadastro dos motoristas que têm mais de 85 anos e dos que não renovam a carteira de habilitação há mais de dez anos.Ainda não há previsão de quando isso ocorrerá. O delegado Rafael Rabinovici, da Divisão de Habilitação do Detran, solicitou à Companhia Estadual de Processamento de Dados um levantamento entre os 13 milhões de condutores cadastrados que tenham nascido antes de 1920. "Estimamos que existam 219 mil motoristas no Estado com idades acima dos 85 anos e precisamos evitar que seus cadastros sejam usados indevidamente."Também foi solicitada uma pesquisa para saber quantos motoristas não renovam há pelo menos dez anos a carteira de habilitação. "Essa pessoa pode ter morrido, ficado inválida ou deixado de dirigir por algum motivo. Isso permite que gente da própria família ou amigos lancem as multas em seu prontuário", justificou. Rabinovici pediu ao diretor do Detran, delegado José Francisco Leigo, a realização de estudos para viabilizar uma forma de os cartórios de registro informarem on-line o Detran sobre o falecimento de condutores.As "medidas profiláticas" foram tomadas após a imprensa divulgar a denúncia da família de A.L.R., que, apesar de ter morrido em 2001, recebeu 25 multas, num total de 140 pontos, em seu prontuário até 2003. A Delegacia de Crime de Trânsito está investigando a denúncia e procurando pessoas que foram multadas e transferiram as infrações para o cadastro de motoristas mortos. Os culpados serão indiciados por falsidade ideológica e, se forem condenados, podem pegar de 1 a 5 anos de prisão.

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 06h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.