Motoristas de Brasília põem fim à greve

Os motoristas e cobradores de ônibus de Brasília decidiram, em assembléia no início da noite desta sexta-feira, encerrar a greve e voltar ao trabalho neste sábado.O movimento começou há cinco dias. Mais de 1.500 policiais militares acompanharam a assembléia.A categoria aceitou a proposta dos empresários, que não prevê reajuste salarial, mas prorroga o atual acordo coletivo de trabalho por mais 60 dias. O fim da greve só foi possível após o governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz (PMDB), garantir a prorrogação do acordo e se comprometer a combater o transporte clandestino na cidade - responsável por um prejuízo diário de 30% no faturamento das empresas.Em Brasília há cerca de 4 mil veículos clandestinos fazendo transporte coletivo. Com a prorrogação do acordo, os rodoviários vão manter as conquistas trabalhistas, como vale-alimentação (R$ 145,) cesta básica de R$ (40), jornada diária de trabalho de horas corridas e o pagamento de gratificação de 5% para os empregados com mais de cinco anos de contrato.A categoria deflagrou a greve para reivindicar a recuperação de perdas salariais (6,8%), além de um aumento real de 10%. Outro fato que contribuiu para o fim da greve foi o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) ter marcado para segunda-feira o julgamento sobre a legalidade ou não da greve.Os grevistas temiam que o TRT decretasse a ilegalidade do movimento, uma vez que 50% dos ônibus não estavam circulando, como prevê a lei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.