Motoristas de ônibus de SP desrespeitam determinação do TRT

A cidade de São Paulo continua sem ônibus neste início da tarde, por causa do segundo dia de paralisação geral de motoristas e cobradores. Terminais como o Tiradentes e o Águia de Haia, na zona Leste, estão vazios. A categoria não cumpriu a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de manter 80% da frota em circulação nos horários de pico e 60% nos demais horários. Há poucos ônibus nas ruas.O morador da capital continua se virando para tentar chegar ao trabalho. Os pontos de ônibus continuam lotados. Na região da Cidade Tiradentes, na zona Leste, os passageiros estão tomando peruas - clandestinas, escolares ou regulamentadas -, que estão cobrando, além do vale-transporte, R$ 1,00 para levá-los até as Estações Penha ou Arthur Alvim do Metrô. As estações do Metrô também estão cheias. Na Itaquera e na Tatuapé, os passageiros têm de esperar meia hora apenas para entrar na estação. Está prevista para ocorrer nesta tarde a reunião de conciliação entre representantes do sindicato patronal (Transurb), o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus e a Secretaria Municipal dos Transportes, na sede do Tribunal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.