Motoristas de ônibus decidem parar em SP amanhã

Em uma assembléia tumultuada, motoristas e cobradores de ônibus decidiram nesta quinta-feira entrar em greve a partir da zero hora de hoje, contrariando orientação da diretoria do sindicato da categoria. O presidente Edivaldo Santiago da Silva havia proposto que os trabalhadores ficassem em estado de greve, que as negociações prosseguissem para reaproveitar os funcionários das empresas que não vão operar no sistema e realizar uma nova assembléia amanhã.Como o plenário do sindicato estava ocupado em sua maioria por empregados da Âmbar, Vitoria, Arc e Cruz da Colina, empresas que deixarão de operar na cidade, a proposta da diretoria não foi aceita. Foi decretada greve geral, mas os líderes sindicais não acreditam que a paralisação tenha êxito. É que os motoristas e cobradores das empresas que vão continuar operando não compareceram e não deverão cruzar os braços.Motoristas e cobradores da Viação Âmbar pararam cerca de 60 ônibus na frente da Prefeitura, na manhã desta quinta-feira, para protestar contra a exclusão da empresa dos consórcios que vão operar o novo sistema de transporte público a partir de amanhã. À tarde, foram para o sindicato votar pela greve.Segundo Silva, o protesto não foi organizado pelo sindicato da categoria. ?É coisa dos donos da Âmbar com a CUT e o pessoal de oposição a Marta Suplicy no PT.? O advogado da empresa nega que o ato tenha partido dos patrões. ?O protesto foi espontâneo.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.