Motoristas de van entram em greve e fazem carreata no Rio de Janeiro

Cerca de 3,5 mil veículos seguem do centro da cidade em direção ao Aterro do Flamengo

O Estado de S. Paulo

15 Agosto 2012 | 08h23

SÃO PAULO - Cerca de 3,5 mil motoristas do transporte alternativo da cidade do Rio de Janeiro, o que inclui vans e peruas, fazem um protesto nesta quarta-feira, 15, por mudanças na licitação que regula a atividade. Em greve desde a meia-noite, eles se reuniram no entorno do Estádio do Maracanã, na zona norte da capital fluminense, de onde partiram em carreata, às 12h30, para o Aterro do Flamengo, na zona sul. Parte dos motoristas já chegou e começa a causar lentidão na região.

O Centro de Operações Rio (COR) informa que o trânsito é intenso em direção à zona sul nas Avenidas Presidente Vargas e Rio Branco. Quem vai da Tijuca para o centro, por sua vez, deve evitar a Avenida Francisco Bicalho, usando como alternativas a Avenida Rodrigues Alves e a Radial Oeste.

Às 8h os veículos ocuparam as avenidas Maracanã, Radial Leste e a Rua Eurico Rabelo, na zona norte do Rio. Em alguns pontos da Maracanã chegaram a bloquear três faixas, deixando apenas uma para circulação.

Os motoristas organizaram o ato para pressionar a Prefeitura a liberar uma nova licitação, mais favorável à categoria: com contrato de dez anos, direito ao Bilhete Único Carioca e possibilidade de compartilhar pontos de ônibus e corredores com os ônibus. A manifestação é conduzida pelo grupo autointitulado Movimento em Defesa do Transporte Alternativo do Município do Rio de Janeiro (MTDA).

O prefeito Eduardo Paes (PMDB) afirmou que licitações individuais estão sendo feitas para implantar o Bilhete Único Carioca nas vans do Rio - elas foram suspensas temporariamente por conta da campanha eleitoral. Paes disse, no entanto, que os corredores de ônibus, conhecidos como BRS, não serão liberados para o transporte alternativo. "Não vou transformar o BRS, que é uma experiência bem sucedida, em mais um corredor de caos no Rio de Janeiro."

Mais conteúdo sobre:
vans rio greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.