Motoristas do Grande Recife prometem nova paralisação nesta sexta

Decisão, tomada em assembleia na tarde desta quinta, visa a pressionar o TST a conceder 75% de reajuste no vale alimentação

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

28 Agosto 2014 | 18h20

RECIFE - Pela terceira vez em oito dias, motoristas, cobradores e fiscais de ônibus do Grande Recife devem voltar a paralisar as atividades na manhã desta sexta-feira, 29, das 4 às 8 horas. A decisão, tomada na tarde desta quinta, 28, em assembleia, visa a pressionar o Tribunal Superior do Trabalho (TST) a conceder 75% de reajuste no vale alimentação da categoria, como definiu o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PE), em julgamento de dissídio coletivo da categoria, no dia 30 de julho. Também foi determinado, então, aumento salarial de 10%. A classe patronal havia oferecido 6% de aumento linear - salários e benefícios.

Em acatamento a recurso do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de Pernambuco (Urbana-PE), o presidente do TST, ministro Barros Levenhagen, suspendeu a decisão do TRT, que determinava o reajuste de 6%, mas depois voltou atrás e o aumento salarial de 10% foi mantido. A determinação não foi extensiva ao vale alimentação, que continua com 6% de reajuste. O TRT-PE havia determinado que ele subiria de R$ 171 para R$ 300.

O presidente do sindicato dos motoristas, Benílson Custódio, disse que a categoria não vai aceitar migalhas e continuará lutando para que prevaleça a total determinação do TRT-PE. O julgamento do dissídio coletivo no TST deve ocorrer em um prazo de 15 dias. Até então, ficam mantidos os pisos salariais com o reajuste de 10% - R$ 1.765,50 para motoristas, R$ 1.141,69 para fiscais e R$ 812,13 para os cobradores.

Os motoristas e cobradores fizeram três dias de greve no final de julho, encerrada com a determinação do TRT-PE, de conceder as reivindicações pretendidas. Em meio ao embate judicial que se seguiu com a classe patronal, os motoristas e cobradores fizeram paralisações nos dias 22 e 26, entre as 4 e 8 horas da manhã. O retorno à normalidade, nestes dias, só aconteceu muitas horas depois. Nesta sexta-feira, 29, o sindicato orientou para que os ônibus voltem a circular realmente a partir das oito horas. 

Mais conteúdo sobre:
Recife

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.