Motoristas do Recife decidem rumos da paralisação no domingo

Greve foi resposta à decisão do TST de suspender aumento de 10% concedido em dissídio; ordem é de que a classe volte às atividades

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

22 Agosto 2014 | 20h01

RECIFE - Somente neste domingo (24) o Sindicato dos Rodoviários do Grande Recife definirá os rumos da paralisação desta sexta-feira (22), que pegou de surpresa os dois milhões de usuários de transportes públicos da região metropolitana. Até lá a orientação é de retorno às atividades.

O secretário geral da direção do sindicato, Josival Costa afirmou que esta paralisação foi "uma resposta aos patrões, para dizer que precisamos respeito".  Ele destacou que a classe patronal alega não ter dinheiro para pagar o aumento, mas não detalham os lucros nem as isenções fiscais que recebem.

Iniciada às quatro horas desta manhã, a paralisação foi a resposta à decisão do Tribunal Superior  do Trabalho (TST), que suspendeu o aumento salarial de 10% concedido em dissídio coletivo, no último dia 30 de julho, pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PE).

O reajuste havia sido concedido depois de três dias de paralisação da categoria, que reivindicava os 10% e aumento vale refeição de R$ 171,00 para R$ 320,00. Além de conceder o aumento reivindicado pelos trabalhadores, o TRT aumentou o vale para R$ 300,00. O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Pernambuco  (Urbana-PE) havia proposto 6% de aumento linear - salários e benefícios - e recorreu argumentando não ter capacidade financeira para bancar a determinação do TRT-PE, pois tem como única fonte de renda as passagens - a mais barata custa R$ 2,15.

O ministro do TST Barros Levenhagen acatou o pedido de liminar, determinando o reajuste de 6%, que fica valendo até o julgamento do caso pela Seção de Dissídios Coletivos do TST, que ainda não tem data definida. O sindicato dos trabalhadores informou ainda não ter sido notificado da decisão e tem até a segunda-feira (25) para recorrer.

Um ônibus incendiado, coletivos com pneus furados, muito transtorno e a maioria dos terminais integrados fechados marcaram esta sexta-feira (22).

Mais conteúdo sobre:
greve ônibus Recife

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.