Motoristas esperam mais de 1h para fazer inspeção

Consórcio havia garantido que checagem obrigatória de veículos levaria 30 minutos, mas 1.º dia teve atrasos

Renato Machado e Felipe Grandin, O Estadao de S.Paulo

03 Fevereiro 2009 | 00h00

O primeiro dia da inspeção veicular obrigatória em São Paulo foi marcado por grandes atrasos em determinados momentos do dia. A Controlar - consórcio responsável pelas análises na capital - afirmou anteriormente que as pessoas ficariam no máximo 30 minutos nos centros de inspeção. Na manhã de ontem, no entanto, houve filas de até 10 veículos por unidade de inspeção e a espera chegou a 1h10. Fórum: teve problemas? Mande o relato Tire suas dúvidas sobre o programa de inspeção A empresa aponta a coincidência de placas com o rodízio municipal como a principal razão para os atrasos. Neste mês, serão inspecionados os veículos e motos de placas final 1, exatamente os atingidos ontem pelo rodízio - finais de placa 1 e 2 não puderam circular no centro expandido das 7h às 10h e das 17h às 20h. "Os atendimentos praticamente pararam às 7h30 e depois acumulou um grande volume de veículos depois das 10 horas", diz o diretor executivo da Controlar, Eduardo Rosin. Alguns resolveram burlar a restrição. Foi o caso do servidor Milton Lucizano, que fez a inspeção na unidade da Barra Funda. "Acho que ninguém me pegou", diz. Ele conta que o agendamento - às 10 horas - foi feito pela mulher, que não se deu conta da restrição. A Controlar optou por atender os veículos que não conseguiram fazer a inspeção por causa do rodízio após o horário marcado. Isso provocou filas e atrasou até mesmo para quem estava no horário. Além disso, os funcionários da empresa não organizaram as filas por ordem de agendamento. Havia gente que chegou com até duas horas de antecedência e estava na frente de quem estava prestes a fazer a inspeção. O publicitário Fábio Tavares, de 32 anos, por exemplo, chegou ao centro de inspeção às 10h20, com dez minutos de antecedência. Ele só conseguiu ser atendido por volta do meio-dia, após o metroviário César Donizete Salviano, de 49, que tinha horário agendado para o meio-dia e só conseguiu fazer a inspeção no horário porque chegou ao local às 10 horas. "Vamos apurar se houve problemas e vamos cobrar para que sejam corrigidos, assim como foram os de agendamento", diz o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge. Foram inspecionados nos quatro centros 403 veículos e 48 motos. Desse total, 22 foram reprovados e dez, rejeitados após a análise visual. Aproximadamente 5% não compareceram. A Controlar afirma que pode estender a inspeção para os domingos e para o período noturno, caso haja necessidade. Atualmente, os atendimentos são feitos de segunda a sábado, das 7h às 19h. TIRE SUAS DÚVIDAS O que acontece com quem faltar no dia marcado? Quem chegar atrasado ou faltar deve iniciar o processo de agendamento de novo Há tolerância para atrasos? Por causa das filas de hoje, a Controlar vai estipular em 30 minutos o limite para atrasos e para as pessoas serem atendidas antes do horário Qual o prazo para a reinspeção gratuita? O veículo rejeitado ou reprovado na primeira inspeção tem até 30 dias para realizar a manutenção necessária e efetuar a reinspeção gratuitamente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.