Motoristas prometem novas manifestações em São Paulo

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo, Edvaldo Santiago Silva, afirmou, nesta terça-feira, durante manifestação da categoria promovida pela Força Sindical em frente à Câmara Municipal de São Paulo, que, nos próximos dias, o sindicato vai realizar "grandes atos de protesto" em toda a cidade, até que a Prefeitura encontre alternativa para empregar os 10.800 trabalhadores que ficaram desempregados com o descredenciamento de nove empresas que operavam no sistema de transporte da capital."Não vamos dar um minuto de sossego para a Prefeitura, que é a responsável por esse desemprego, numa conjuntura complicada como essa que vivemos hoje", afirmou.Santiago afirmou que as propostas feitas até o momento pela SPTrans, órgão da Prefeitura, para resolver o impasse, "estão longe de ser satisfatórias". A SPTrans, de acordo com ele, propõe reabsorver 3,6 mil trabalhadores dos demitidos por outras empresas que operam no sistema de transporte.O sindicato propõe a realização de um plano de demissões voluntárias (PDV), que, segundo estimativas de Santiago, teria cerca de 4 mil adesões, entre todos os funcionários das empresas que operam na capital. "Essas 4 mil vagas teriam que ser ocupadas pelos demitidos das nove empresas. Com mais 3,6 mil vagas que a Prefeitura diz poder garantir, já teríamos um bom avanço, mas ainda falta muito", argumentou ele.

Agencia Estado,

15 de abril de 2003 | 17h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.