Movimento está quase normal no aeroporto de BH

Depois de uma sexta-feira de caos, a situação no Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, caminhava para a normalidade, no fim da tarde deste sábado. Às 18h30, havia apenas três vôos atrasados. Durante todo o dia, foram 20 partidas e chegadas fora do horário, de um total previsto de 50 vôos. Dois foram cancelados, ambos da empresa Ocean Air. Na sexta-feira, 32 dos 130 vôos tiveram atrasos, a maioria da TAM. Cinco foram cancelados.Apesar da expectativa de normalização do movimento até o fim da noite, passageiros demonstravam apreensão na longa fila que se formou no check-in da TAM. O funcionário público Wagner Ribeiro, de 59 anos, tinha vôo previsto para Brasília às 17h30, mas às 17h50 ainda aguardava a abertura do check-in. "Liguei antes e a TAM informou que o vôo estava no horário previsto. Peguei um táxi para chegar a tempo, mas agora a empresa não dá nem previsão", reclamou Ribeiro.Quem tinha de fazer viagens longas demonstrava resignação com a possibilidade de esperar muito tempo nos aeroportos. Era o caso da estudante Tharcila Dias, de 18 anos. Ela embarcaria no mesmo vôo que Ribeiro, com destino a Brasília, mas depois iria pegar um avião para Belém e outro para Santarém (PA), onde os pais da estudante moram. "A gente já está meio conformada. Eu deveria chegar hoje ainda, mas já avisei minha mãe que só vou chegar amanhã", disse Tharcila."Quando vi o tamanho da fila, já comecei a me preparar, porque a espera vai ser longa", afirmou o professor Marcos Perdigão, de 42 anos. Ele aguardava uma partida para Porto Seguro, onde pretende passar uma semana de férias. Apesar de conformado com a espera, Perdigão mostrava indignação com o tratamento dado aos passageiros pela TAM e com o comportamento do governo Lula na crise. "Parece que o problema se generalizou. As companhias mostram desinteresse pela situação dos passageiros e o governo também. Fica até mais cômodo para o governo, que pode pôr a culpa nas empresas. Nós, como sempre, somos vítimas", declarou o professor.O único protesto registrado neste sábado ocorreu durante a madrugada, no balcão da TAM. Passageiros se deitaram na esteira de bagagem até que fossem embarcados em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), que deixou Belo Horizonte com destino a Salvador. Na sexta-feira à noite e na madrugada de sábado, dois aviões da FAB atenderam passageiros da TAM para desafogar o Aeroporto de Confins.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.