Movimento nos aeroportos aumenta na véspera de feriado

O movimento de passageiros nos principais aeroportos do País já começava a aumentar na manhã desta sexta-feira, 16, véspera do feriado prolongado de carnaval, segundo informações da Rádio Eldorado. Em São Paulo, o aeroporto de Congonhas apresentava, às 8 horas, apenas quatro vôos com atrasos: duas partidas, uma para Brasília e outra para Juiz de Fora, e duas chegadas, para Salvador e Fortaleza, com 40 minutos de atraso. As filas nos guichês das empresas TAM e da Gol chegavam a 30 minutos. As passagens para o Rio de Janeiro, Minas Gerais e Estados do Nordeste estavam esgotadas. Segundo a Infraero, não havia vôos cancelados e a ponte aérea operava normalmente. No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, as filas eram vistas apenas nos guichês da TAM, e chegavam a 30 minutos para atendimento. Dois vôos da BRA estavam com uma hora de atraso, um para Petrolina e outro para Porto Alegre, com escala em Curitiba. Seis vôos internacionais estavam fora do horário, três para Buenos Aires, com uma hora de atraso, dois para Santiago, com duas horas de atraso e o mais atrasado deles, um vôo para Londres, que deveria ter partido na noite de quinta-feira, mas decolou apenas às 7 horas desta sexta-feira. Rio de Janeiro No Rio de Janeiro, os aeroportos operavam normalmente para pousos e decolagens. Apesar do grande número de passageiros, não haviam confusões nem atrasos nos vôos. Já em Belo Horizonte, o Aeroporto de Confins apresentava filas para check-in, mas a situação era considerada normal pela Infraero, não havia cancelamentos e três vôos para Guarulhos estavam com 55 minutos fora do horário. Em Salvador, mesmo com a chuva que caía sobre a cidade, o Aeroporto Luís Eduardo Magalhães operava normalmente. Era grande o movimento de turistas, artistas e personalidades. Os vôos seguiam sem grandes atrasos e sem cancelamentos.

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 08h25

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.