Movimento nos aeroportos deve aumentar a partir desta quinta

Infraero estima que, por dia, 41 mil passageiros passem nos grandes aeroportos do País

Solange Spigliatti do estadao.com.br,

27 de dezembro de 2007 | 09h53

O movimento nos aeroportos do País deve começar a aumentar nesta quinta-feira, 27, devido às viagens de fim de ano, prevê a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero). A estimativa da Infraero é que, em aeroportos como Congonhas (SP), Brasília (DF) e Galeão (RJ), passem cerca de 41 mil passageiros por dia. Em Guarulhos o movimento deve ser ainda maior, cerca de 64 mil por dia.  Para o presidente da empresa, Sérgio Gaudenzi, "a volta dos passageiros deve ser mais parcelada, por conta das férias de janeiro". Na manhã desta quinta, a Infraero registrou até as 9 horas, 34 decolagens com atraso de mais de uma hora, representando 6,8% do total dos 497 vôos previstos em todo o país. Desses, 24 foram cancelados, ou 4,8%. Em São Paulo, o aeroporto de Congonhas apresentava apenas 3 vôos com atraso de mais de uma hora e 5 estavam cancelados, do total de 55 previstos. Em Cumbica, dos 61 vôos programados, 3 vôos haviam sido cancelados e 8 estavam atrasados.  O aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, não tem nenhum vôo atrasado e apenas 3 decolagens, das 17 programadas, foram canceladas. No aeroporto do Galeão, também no Rio, a situação é tranqüila: dos 41 vôos previstos, a Infraero registrou apenas 2 atrasos e 3 cancelamentos.  Em Salvador, o quadro de vôos do aeroporto Deputado Luís Eduardo Magalhães encontra-se estável, com apenas 5 vôos atrasados e nenhum cancelamento das 27 decolagens agendadas. Para facilitar a viagem dos viajantes, a Infraero disponibiliza em seu site, desde o dia 24 de dezembro, as informações de vôos ainda mais detalhadas, sendo possível saber, por empresa aérea, os índices de atrasos e de cancelamentos de vôos.

Mais conteúdo sobre:
Caos aéreoCongonhasCumbica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.