Movimentos sociais também estão no alvo de QG dilmista

A coordenação de campanha de Dilma Rousseff no Rio tentou desmobilizar pelo menos três eventos programados por movimentos sociais ligados ao PT na Praia de Copacabana, na manhã de domingo. O objetivo é evitar eventuais confrontos entre os militantes e cabos eleitorais de José Serra (PSDB), que fará uma caminhada ao lado do senador eleito por Minas, Aécio Neves.

ALFREDO JUNQUEIRA, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2010 | 00h00

Além dos mata-mosquitos, os dirigentes petistas estavam preocupados com um protesto programado por entidades que defendem direitos dos homossexuais e com duas atividades de movimentos culturais. As três bexigas com água atiradas contra Dilma no Paraná, na quinta-feira, também mobilizaram o partido. Segundo integrante da coordenação de campanha, militantes do PT estavam revoltados e prometeram "resposta" durante a passeata de Serra.

Manifestantes que participaram do ato pró-Dilma e contra as privatizações no Rio, na quinta-feira, teriam organizado grupos para atrapalhar o evento tucano no domingo. "As bexigas contra a Dilma caíram como uma bomba durante o ato. Isso pode servir de catalisador para os militantes mais radicais. É isso que a gente quer evitar", explicou um coordenador de campanha.

Dirigentes do PT disseram que vão a Copacabana após a carreata com Dilma e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Realengo e Bangu, na zona oeste. O objetivo será monitorar a presença dos militantes que estiverem na orla e evitar qualquer tipo de confronto com os tucanos.

Integrante da Secretaria de Cultura do PT, o músico Léo Borges confirmou que haverá duas atividades em Copacabana. Segundo ele, não havia nenhuma determinação da direção do partido para se cancelar os atos. "Teremos um evento às 14h. Mais cedo, um grupo de simpatizantes organizou um ato com música e apresentações, com concentração às 11h no bar Bip Bip", disse. "A única recomendação é não provocar e evitar provocação."

Proprietário do Bip Bip, Alfredo Jacinto Mello, o Alfredinho, negou que houvesse qualquer ato programado em seu bar no domingo. "Soube disso aí, mas não marcaram comigo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.