MP abre ação contra Light por explosões de bueiros no Rio

Promotores querem que empresa efetue reparos imediatos nos locais em que há risco de ocorrer o acidente

Solange Spigliatti, Central de Notícias

07 Abril 2011 | 11h09

SÃO PAULO - O Ministério Público (MP) do Rio abriu nesta quarta-feira, 6, ação coletiva de consumo contra a empresa de energia elétrica Light, devido às constantes explosões de bueiros provocadas pelas instalações subterrâneas de energia elétrica e gás canalizado.

 

Além da Light, a ação também é contra a Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro. Segundo o MP, as concessionárias, além de violar o Código de Defesa do Consumidor, não têm respeitado princípios básicos da Constituição.

 

Em caráter liminar (imediato), a ação requer que a Justiça determine que as empresas apresentem, num prazo de 24 horas, a relação de bueiros com risco de explosão e o cronograma para a realização dos reparos definitivos, que devem ser elaborados em no máximo 30 dias. Também foi fixação multa de R$ 1 milhão às concessionárias por bueiro que explodir após o término do prazo. Caso não apresentem os dados, o MP pede que seja estabelecida multa de R$ 50 mil por dia.

 

No julgamento do mérito, os promotores requerem que as concessionárias sejam condenadas a realizar a manutenção preventiva, adotando técnicas capazes de prever uma possível falha, e também a substituir as instalações que estiverem com mais de 50 anos de operação.

 

Requerem ainda que os réus sejam obrigados a indenizar os danos patrimoniais e extrapatrimoniais aos consumidores atingidos pelos acidentes de consumo e a indenizar o dano moral coletivo causado à população, no valor de R$ 1 milhão.

Mais conteúdo sobre:
bueiros Ligth explosões MP Rio manutenção

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.