MP analisa escândalo de corrupção de menores

A denúncia de corrupção de menores e abuso sexual envolvendo 22 pessoas, entre empresários, comerciantes e oito vereadores de Porto Ferreira, na região de São Carlos, começou a ser analisada Ministério Público. O inquérito relatado pela Polícia Civil aponta indícios de participação direta de 14 dos 22 suspeitos, conforme o delegado Maurício Rasi. Ele comentou que outras 8 pessoas podem ter participado indiretamente do crime. O suspeitos teriam freqüentado festas e churrascos semanais em que praticavam sexo com adolescentes de 11 a 16 anos e garotas de programa. Elas recebiam em troca comida, drogas, bebidas e dinheiro, de R$ 30 a R$ 50, segundo Rasi.O delegado comentou que as orgias aconteciam em chácaras, sempre às segundas-feiras, do meio-dia até o começo da noite, pouco antes do início da sessão da Câmara Municipal. Também há relatos de festas aos sábados. A denúncia foi feita à polícia pelo pai de uma adolescente, que encontrou uma foto da filha nua. O garçom e suplente de vereador Valter Mafra, acusado de ser o organizador das festas e gerenciador das meninas, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e está foragido. Ele é acusado de exploração sexual, estupro, favorecimento à prostituição e corrupção de menores, explicou Rasi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.