MP apura possível venda de receita para fraudar leite no RS

Investigação encontrou indícios da comercialização durante a Operação 'Leite Compen'

Lucas Azevedo, O Estado de S. Paulo

12 Maio 2013 | 21h07

PORTO ALEGRE - O Ministério Público (MP) do Rio Grande do Sul está apurando indícios encontrados durante a Operação "Leite Compen$ado" - que investiga a adulteração do produto com ureia em três cidades gaúchas - de que a substância química para a fraude estava sendo comercializada.  

Durante as investigações, os promotores captaram em escutas telefônicas autorizadas pela Justiça alguns dos investigados falando que compravam a fórmula para a mistura por R$ 10 mil. Para cada 9 litros de leite, apuraram os investigadores, eram misturados um litro de água e 10 gramas de ureia.

Na última quarta-feira (8), o MP do RS desencadeou a operação que detectou o esquema de adulteração do leite feito por transportadores, em três regiões do Estado. Nove pessoas foram presas em Guaporé, Ibirubá e Horizontina suspeitas de participação na fraude. A operação contou com apoio do Ministério da Agricultura e da Receita Federal.

Segundo o MP, cinco empresas de transporte de leite adulteravam o produto cru entregue para a indústria. Depois de recolher o leite nas propriedades rurais, eles adicionavam água para aumentar o volume e, para compensar a perda nutricional, acrescentavam ureia, produto que contém formol em sua composição e, por isso, é considerado cancerígeno pela Organização Mundial da Saúde. As empresas investigadas transportaram aproximadamente 100 milhões de litros de leite entre abril de 2012 e maio de 2013.

Mais conteúdo sobre:
Fraude do Leite

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.