Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

MP recebe relato de abuso infantil em caso João de Deus

Médium foi denunciado por novos crimes de estupro de vulnerável e abuso sexual mediante fraude em Abadiânia

Isabel Cristina, Especial para O Estado

15 de janeiro de 2019 | 20h52

GOIÂNIA - O médium João de Deus foi denunciado nesta terça-feira, 15, por novos crimes de estupro de vulnerável e abuso sexual mediante fraude contra cinco mulheres em atendimentos espirituais em Abadiânia (GO). Além das mulheres citadas na denúncia, o Ministério Público (MP) goiano diz ter ainda relatos de outras vítimas que ajudarão no processo como testemunhas - entre elas três adolescentes e uma criança de 8 anos. O líder espiritual, que está preso, nega os crimes. 

“Este é, até o momento, o relato de vítima mais nova de João Teixeira de Faria”, diz o promotor Augusto Cezar Sousa. Parte dos crimes relatados pelo MP também não foram alvo de denúncia por já terem prescrito - o tempo máximo para denunciar é de 20 anos, com redução de prazo se o acusado tem mais de 70 anos. 

As vítimas são de diferentes origens, como Distrito Federal, Santa Catarina, Rio, Minas, Maranhão e Rio Grande do Sul. De acordo com a promotoria, os casos foram incluídos para embasar a denúncia. 

As cinco vítimas da denúncia têm entre 19 e 47 anos na época dos abusos. Esses casos ocorreram entre 2009 a julho de 2018. Segundo o MP, o médium dava presentes e também fazia ameaças às mulheres após os abusos. 

Defesa

Advogado do líder espiritual, Alberto Toron disse, em nota, que “chega a ser medonho” o MP faz no caso. Segundo ele, a defesa tem poucas informações e interrogatórios são marcados em cima da hora, sem tempo para que os advogados leiam todos os documentos. 

Essa já é a terceira denúncia contra o religioso. A primeira, em 28 de dezembro, foi por violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável. Ele também foi denunciado por posse ilegal de arma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.